Pular para o conteúdo

“Que eu te conheça, te ame…” – [ Santo Anselmo de Cantuária ]

12/01/2020

Ó DEUS, ROGO-TE QUE PERMITAS QUE TE CONHEÇA, TE AME, e possa assim fruir da tua felicidade. E se não posso tê-la plenamente durante esta vida, ao menos consiga avançar, cada dia mais, em direção a ela, de modo a alcançá-la plenamente. Que o conhecimento de ti cresça, durante a minha vida, de forma a fazer-se pleno na outra. Que o meu amor para contigo aumente cada vez mais até chegar à plenitude na vida futura e que, aqui, a minha alegria seja tão grande, na esperança, a fim de que possa ser total ali, na realidade. Ó Senhor, tu por meio do teu Filho nos ordenas, aliás nos exortas, a pedir, e prometes que seremos atendidos, e que a nossa alegria será plena. Peço-te aconselhar-me por meio desse nosso admirável Conselheiro para que eu receba o que nos prometes através da tua Verdade: que a minha alegria venha a ser completa. Deus da verdade, suplico-te, possa eu fruir dessa alegria completa. Que a minha mente, de agora em diante, só pense nisso; que a minha boca só fale nisso; que o meu coração só ame isso; que a minha alma só anele por isso; que a minha carne só tenha sede disso; que o meu ser inteiro só deseje isso até o momento em que perceba em mim a alegria do meu Senhor, que é Uno e Trino, bendito por todos os séculos. Assim seja.

(Proslógio, cap. XXVI.   –  Santo Anselmo de Cantuária, ou de Aosta, 1033-1109, Arcebispo de Cantuária. Doutor da Igreja).

Comentários encerrados.