Pular para o conteúdo

Como rezar após a comunhão? – (Santa Teresa de Ávila)

02/01/2019

“ACABANDO de receber o Senhor, cerrai os olhos do corpo e abri os da alma para vê-lo em pessoa, diante de vós, dentro do vosso coração. E eu vos digo e repito e quisera tornar a dizer muitas vezes: se vos acostumardes a fazer assim em todas as vossas comunhões, ele não virá tão disfarçado. Ele se dará a conhecer de várias maneiras, conforme o desejo que tiverdes de o ver. Podereis mesmo desejá-lo tanto, que se descubra totalmente a vós. Conservai limpa a consciência, para que vos seja permitido gozar amiúde desse Bem.

Se não fizerdes caso dele, se, ao recebê-lo, deixamos sua companhia e vamos buscar misérias terrenas, que se há de fazer? Há de se impor, forçar-nos a olhá-lo, para se manifestar a nós? Certamente que não. Nem por isso o trataram tão bem no tempo em que se deixou ver aos olhos de todos aqui na terra. Assim, grande misericórdia nos faz a todos Sua Majestade querendo que entendamos sua presença real no Santíssimo Sacramento.

Quanto a mostrar-se visivelmente e comunicar suas riquezas e repartir seus tesouros, isto não lhe apraz conceder a todos indistintamente. Reserva-o aos que muito o desejam, porque são estes seus verdadeiros amigos. Digo-vos: quem não o for e não se aproximar com amizade a recebê-lo, fazendo tudo o que é da sua parte, jamais se atreva a importuná-lo para que se lhe dê a conhecer. Por exemplo: como pode alcançar de Deus tal favor quem, tendo cumprido o preceito da Igreja, está aflito por concluir a ação de graças, sai logo da casa de Deus e procura expulsá-lo de si? Dir-se-ia que, preocupado com outros assuntos, afazeres e embaraços do mundo, dá-se pressa para que lhe desocupe a casa aquele que, entretanto, é seu Senhor”.

(Santa Teresa de Ávila – Caminho de Perfeição, cap. 35, 12-13).

Comentários encerrados.