Pular para o conteúdo

São Cipriano de Cartago: a excelência do Pai Nosso, a oração do Senhor

21/04/2012

Que oração poderia ser mais espiritual do que aquela que nos foi dada por Cristo, que também nos enviou o Espírito Santo? Que súplica poderia ser mais eficaz junto ao Pai do que aquela que saiu da boca do Filho, que é a própria Verdade? Orar de modo diferente daquele que o Senhor nos ensinou não só seria ignorância, mas culpa, uma vez que Ele próprio o afirmou ao dizer: Rejeitais o mandamento de Deus para ater-vos à vossa tradição (Mt 15,6; Mc 7,8).

Portanto, queridíssimos irmãos, oremos como nos ensinou o nosso Mestre, Deus. É-lhe grato e familiar dirigirmo-nos a Ele com as suas próprias palavras, fazermos chegar aos seus ouvidos a oração do próprio Cristo. O Pai há de reconhecer as palavras do seu Filho quando lhe rogarmos com elas; Aquele que habita em nosso peito deve estar também em nossos lábios, e como além disso Ele é intercessor pelos nossos pecados diante do Pai, convém que nós, pecadores, ao pedirmos perdão dos nossos delitos, nos sirvamos das palavras utilizadas pelo nosso Advogado. Com efeito, se Ele declara que tudo o que pedirdes ao Pai em meu nome, Ele vo-lo concederá (Jo 16,23), quanto mais eficaz não será a nossa súplica se pedirmos não somente em nome de Cristo, mas valendo-se da sua própria oração?

(De oratione dominicaSão Cipriano, Bispo de Cartago, séc. III).

Comentários encerrados.