Pular para o conteúdo

O navio da Igreja – [S. Agostinho]

POR TODAS AS COISAS QUE FEZ, o Senhor nos ensina como viver aqui na terra. Não há ninguém neste mundo que não seja viajante, ainda que nem todos desejem regressar à pátria. Nós sofremos com as ondas e as tempestades que decorrem da travessia, mas, mesmo assim, fiquemos no navio. Com efeito, se dentro do navio corremos perigo, fora dele a morte é inevitável! Aquele que nada em alto mar pode ter muita força em seus braços, mas será, cedo ou tarde, vencido pela imensidão do oceano, é devorado por ele e desaparece.

Portanto, é necessário estarmos no navio, ou seja, sermos transportados pela madeira de um lenho, para poder atravessar o mar. O madeiro que carrega a nossa fraqueza é a cruz de nosso Senhor, da qual trazemos o sinal em nossa fronte, e que nos impede de ser engolidos pelo mundo. Sofremos as agitações das ondas, mas é o Senhor que nos transporta.

A barca que transporta os discípulos, isto é, a Igreja, navega, e a tempestade das provações a tomam de assalto. O vento contrário, ou seja, o demônio que faz oposição à Igreja, não se acalma, esforçando-se por impedi-la de chegar ao repouso do porto. Grande é, porém, aquele que intercede por nós. Com efeito, durante a tumultuosa navegação em que nos debatemos, ele nos inspira confiança, vem a nós e nos reconforta, a fim de que, sacudidos pela barca, não nos deixemos abater e não nos lancemos ao mar. Porque, mesmo se a barca é sacudida pelas ondas, é apesar de tudo uma barca, e somente esta barca transporta os discípulos e acolhe Cristo. Ela corre um grande risco no mar, mas, fora dela, imediatamente perecemos.

Conserva-te, pois, na barca e clama por Deus. Todos os conselhos podem falhar, o leme pode tornar-se insuficiente, as velas abertas mais perigosas que úteis – quando todos os socorros humanos falharem, só resta aos marinheiros rezar e elevar a Deus seus corações. Aquele que concede aos navegantes a graça de chegar ao porto, iria acaso abandonar a sua Igreja, em vez de reconduzi-la ao repouso?

(Sermão 75 – Santo Agostinho de Hipona, Doutor da Igreja).

Sobre a santidade – [São João M. Vianney]

SIM,  podemos ser santos e devemos trabalhar para nos tornarmos santos. Os santos foram mortais como nós. Temos as mesmas ajudas, as mesmas graças, os mesmos sacramentos…

Podemos ser santos, porque o bom Deus jamais nos recusará sua graça para ajudar-nos a nos tornarmos santos.

Ele é nosso Pai, nosso Salvador e nosso Amigo. Ele deseja ardentemente ver-nos libertados dos males da vida. Ele quer cumular-nos de todo tipo de bens, depois de dar-nos, já neste mundo, imensas consolações, pregustações dos consolos do Céu.

(São João Maria Vianney,  1786-1859, França).

A São Marcos, evangelista

Ó GLORIOSO SÃO MARCOS, que desde a infância conhecestes o caminho de Cristo, e em vossa casa materna a família da Igreja nascente se reunia (Atos 12,12): intercedei por nossas famílias, e especialmente pelas crianças e jovens, para que tenham a grande alegria de conhecer e seguir Jesus.

Vós que, depois, vos tornastes colaborador próximo do trabalho apostólico junto a Paulo, Barnabé e Pedro:  ajudai-nos a sempre permanecer unidos ao trabalho das testemunhas autênticas e autorizadas de Cristo, no trabalho pastoral da Santa Igreja, seja diretamente, seja indiretamente com a oração, a penitência e o auxílio material.

Vós resumistes a pregação e os testemunhos que ouvistes sobre Jesus, e especialmente os de Pedro, e assim escrevestes o primeiro Evangelho: ajudai-nos a conservar no coração e a meditar atentamente, como Maria, o mistério da pessoa, dos gestos e ensinamentos de Jesus que tão bem soubestes anunciar.

Intercedei pela Igreja, nestes dias tão difíceis, intercedei por nós: que, ajudados pelo Espírito Santo, reavivemos nossa fé em Jesus Cristo, Filho de Deus;  que possamos conhecê-lo, contemplá-lo e segui-lo mais profundamente no mistério de sua cruz e de sua glória. Amém.

b05fd1be310293d1d16507a0a3ce2439.jpg

Para a Comunhão espiritual – [S. Afonso M. de Ligório]

CREIO, Ó MEU JESUS, que estais presente no Santíssimo Sacramento. Amo-Vos sobre todas as coisas e desejo-Vos possuir em minha alma. Mas, como agora não posso receber-Vos sacramentalmente, vinde espiritualmente ao meu coração. E, como se já Vos tivesse recebido, uno-me inteiramente a Vós;  não consintais que de Vós me aparte.  Amém.

(Santo Afonso Maria de Ligório, 1696-1787, Bispo, Doutor da Igreja).

Para pedir a intercessão de São José

1967085c5f6907bdc0de5e88cc718302.jpg

– Um homem fiel será louvado e aquele que é guardião do seu Senhor será glorificado.

– Rogai por nós, ó Bem-aventurado José,

– Para que sejamos dignos das promessas de Cristo.

Oremos –   Ó DEUS, que predestinastes São José, desde toda a eternidade, para o serviço do Vosso Filho e de sua Bem-aventurada Mãe, e o fizestes digno de ser o esposo da Bem-aventurada Virgem e o pai adotivo do Vosso Filho, nós Vos suplicamos, por todos os serviços que, nesta terra, ele prestou para Jesus e Maria, que Vos digneis tornar-nos dignos de sua intercessão e concedei-nos um dia gozar da felicidade de sua companhia no Céu. Por Cristo, nosso Senhor.

– Ó JOSÉ, PAI VIRGINAL DE JESUS, puríssimo esposo da Virgem Maria, orai continuamente por nós ao Filho de Deus; que, seguindo vosso exemplo e equipados com as armas de Sua graça, possamos combater como devemos nesta vida, e ser coroados por Ele na morte. Amém.

A Maria, “Rosa Mística”

VIRGEM IMACULADA, MÃE DA GRAÇA, ROSA MÍSTICA, em honra do Vosso Divino Filho nos ajoelhamos diante de Vós a implorar a misericórdia divina; não é por nossos méritos, mas pela vontade do Vosso Coração materno que Vos imploramos auxílio e graças, certos de que nos ouvireis.

Ave, Maria…

Mãe de Jesus, Rainha do Santíssimo Rosário, Mãe da Igreja, corpo místico de Cristo, suplicamos para o mundo, inflamado em discórdias, a graça da unidade e da paz e os favores que possam converter os corações de tantos filhos Vossos.

Ave, Maria…

Rosa Mística, Rainha dos Apóstolos, concedei-nos floresçam, à beira dos altares eucarísticos, numerosas vocações sacerdotais e religiosas que, com a santidade de vida e o zelo ardente pelas almas,  possam dilatar o Reino do Vosso Filho Jesus no mundo inteiro. Enchei-os também dos Vossos favores celestes.

Ave, Maria…

Rosa Mística, Mãe da Igreja, orai por nós!

A Nossa Senhora de Loreto

Ó MARIA, VIRGEM IMACULADA E MÃE NOSSA SANTÍSSIMA, prostrados em espírito junto de vossa Santa Casa, que os Anjos transportaram sobre a ditosa colina de Loreto, cheios de confiança em vós, Mãe Santíssima, humildemente elevamos a nossa prece:

Entre aqueles santos muros vós fostes concebida sem pecado e mais bela que a aurora viestes à luz; na oração e no amor o mais sublime, passastes os dias de vossa infância e juventude, aí fostes saudada pelo Anjo “Bendita entre as mulheres” e vos tornastes Mãe de Deus; por tudo isso, ó Maria, vossos olhos misericordiosos a nós volvei, humildes filhos vossos, peregrinos neste vale de lágrimas e concedei-nos todas as graças que vos pedimos; abençoai nossas famílias, consolai nossos doentes, dirigi os nossos passos para a bem-aventurança eterna onde possamos vos saudar com o Anjo: “Ave Maria!”

Nossa Senhora de Loreto, rogai por nós!

(Três Ave Marias…)

1cc712e897175f75efed0075ba600e1e.jpg