Pular para o conteúdo

Trabalho, repouso e adoração – [Ven. Dom Fulton Sheen]

SE DIRIGIMOS NOSSO TRABALHO PARA DEUS, trabalhamos melhor do que imaginamos. A aceitação deste fato é outra tarefa para o qual precisamos de repouso. Uma vez por semana, o homem, repousando do trabalho, faz bem em ir, perante Deus, como para considerar se quanto do que fez, durante a semana, foi trabalho do seu Criador; pode reconhecer, então, que o material, com que trabalhou, proveio de outras mãos, que as ideias, que usou, entraram na sua mente oriundas de uma Fonte mais alta, que até as energias, que consumiu, eram um dom de Deus.

Se o repouso se toma nesta atitude de espírito, o cientista verá que não é ele o autor do seu livro sobre leis da natureza, mas apenas o revisor de provas. Foi Deus quem escreveu o livro. Igualmente, confessará o professor que toda a verdade, que transmitiu aos alunos, era um raio vindo da Sabedoria Divina. O cozinheiro que descasca batatas, após ter descansado assim, manuseá-las-á como humildes dádivas do próprio Deus.

Permite-nos o repouso contemplar as pequenas coisas que fazemos com relação às grandes; e só estas podem dar àquelas valor e significado. Faz-nos lembrar que todas as ações recebem o valor de Deus: adorar significa reconhecer o “valor”. Adorar é restituir aos nossos enfadonhos dias de trabalho o seu verdadeiro valor, colocando-os na sua real relação com Deus, que é o fim daqueles e o nosso.

Esta adoração é uma forma de repouso, uma contemplação intensamente ativa e criadora das coisas divinas, da qual nos levantamos renovados. Com efeito, a promessa do Evangelho de São Mateus está ainda à espera dos que a queiram ouvir: “Vinde a mim todos os que trabalhais e estais oprimidos, e Eu vos aliviarei“.

(Rumo à Felicidade, Cap. XV,  do Venerável Dom Fulton Sheen, 1895-1979, Bispo auxiliar de Nova Iorque, de 1951 a 1966;  Bispo de Rochester, EUA, entre 1966 e 1969).

IMG_20191206_111325.jpg

À Imaculada Conceição

SANTÍSSIMA VIRGEM, que sois tão agradável ao Senhor e Vos tornastes Sua Mãe, Imaculada no corpo e no espírito, na fé e no amor: olhai, com Vossa ternura materna, para nós, tão fracos e que imploramos Vossa poderosa proteção.

A perversa serpente, sobre a qual foi lançada a primeira maldição, continua a atacar ferozmente e a escravizar os pobres filhos de Eva. Sede, então, ó Mãe bem-aventurada, nossa Rainha e Advogada, Vós que, desde o primeiro instante de Vossa Conceição, esmagastes a cabeça do inimigo!

Recebei favoravelmente as preces pelas quais, unidos convosco num só coração, imploramo-Vos para nos apresentar diante do Trono de Deus: que jamais caiamos nas armadilhas que nos são apresentadas e que possamos todos chegar, seguros, ao porto da salvação; que, em meio a tantos perigos, a Igreja e a sociedade dos cristãos possam cantar novamente o hino de libertação, de vitória e de paz!  Amém.

 

A Cristo, bom Pastor – [São João XXIII]

Ó JESUS, sou a ovelha extraviada e Vós, o bom Pastor, que solícito correis ansiosamente ao meu encalço; alcançastes-me enfim e, após mil carícias, trouxestes-me aos ombros e, alegre, conduzistes-me ao aprisco… Ai de mim! Sou, infelizmente, filho pródigo que dissipou vossas riquezas: dons naturais e sobrenaturais, e me reduzi à mais infeliz condição, porque fugi para longe de Vós, ó Verbo, por quem todas as coisas foram feitas, e sem Vós, Senhor, todas as coisas são um mal, porque nada são. Sois o Pai amorosíssimo que me acolhestes, festejastes quando, regenerado de meus erros, voltei à vossa casa, procurei de novo refúgio à vossa sombra e em vossos braços. Recuperastes-me como filho e me readmitistes à vossa mesa, às vossas alegrias! De novo me chamastes a participar da vossa herança!…

Sois o meu bom Jesus, o mansíssimo Cordeiro que me chamastes vosso amigo, olhastes-me amoroso no meu pecado, abençoastes-me quando vos maldizia! Da cruz rezastes por mim, e de coração traspassado fizestes descer a onda de sangue divino que me lavou das minhas imundícies. Purificastes minha alma de suas iniquidades, arrancastes-me da morte, morrendo por mim! Vencendo a morte, trouxestes-me a vida, abristes-me o paraíso. Ó amor, ó amor de Jesus! Finalmente este amor venceu, e estou convosco, ó meu Mestre, ó meu Amigo, ó meu Esposo, ó meu Pai: eis-me aqui no vosso Coração! Que quereis que eu faça?

(Oração escrita  em 1900, no Diário da AlmaIl Giornalle dell’Anima, por Angelo Giuseppe Roncalli, 1881-1963, que se tornará o Papa João XXIII, em 1958).

738f2111c48a887959c7af4b3e6bbae9.jpg

O Senhor cuida de tudo – [Santa Teresa Benedita da Cruz]

 

SENHOR, AS ONDAS SÃO IMPETUOSAS,

E a noite é escura,

Por que não a iluminas,

Para mim, que velo só?

 

Mantém firme a mão no timão,

Consola-te e aquieta-te.

Tenho em alto apreço o teu barquinho

E quero conduzi-lo ao seu destino.

 

Apenas, fiel de mente,

Presta atenção à bússola,

Que ajuda a alcançar a meta,

Atravessando tormenta e noite.

 

O ponteiro da agulha treme e oscila,

Depois volta a aquietar-se,

Para que te aponte a direção,

Onde quero que vá tua viagem.

 

Por isso, consola-te e acalma-te:

Por meio da tempestade e da noite,

A vontade de Deus te conduz fiel,

Se a consciência vigiar.

 

(Santa Teresa Benedita da Cruz, 1891-1942 – Textos Espirituais II: 196).

 

A São Luís

DO ALTO DO VOSSO TRONO CELESTE, dignai-vos, ó grande São Luis, lançar sobre nós o vosso olhar. É com confiança que a vós elevamos nossos pensamentos e nossos corações. Com vosso coração repleto de caridade, ouvi-nos favoravelmente e apresentai a Deus as nossas orações. Assim, ajudados com vosso socorro, cumpriremos corajosamente nossos deveres, como verdadeiros cristãos, e chegaremos à alegria eterna do Céu, juntamente convosco e com o seráfico São Francisco, que tão bem soubestes venerar e imitar. Amém.

(São Luis – Luís IX, – Rei de França desde os 12 anos, foi terceiro franciscano. Empreendendo uma cruzada para libertar os lugares santos, e sendo vitorioso a princípio, caiu depois nas mãos dos sarracenos. Alguns anos mais tarde retomou as armas, mas o tifo dizimou o seu exército na África, sendo ele também atingido. Morreu diante de Tunes, deitado sobre cinza, em 25 de agosto de 1270).

 

20191125_173401.jpg

Orações da manhã

Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amém.

EU VOS ADORO, MEU DEUS, e Vos amo com todo o coração. Dou-Vos graças por me terdes criado, feito cristão e conservado nesta noite. Ofereço-Vos as ações deste dia; fazei que sejam todas segundo a Vossa santa vontade para maior glória Vossa. Preservai-me do pecado e de todo o mal. A Vossa graça seja sempre comigo e com todos os que me são caros. Amém.

Consagração a Nossa Senhora – Ó Senhora minha, ó minha Mãe, eu me ofereço todo a Vós e em prova da minha devoção para convosco Vos consagro, neste dia, os meus olhos, os meus ouvidos, a minha boca, o meu coração e inteiramente todo o meu ser; e porque assim sou todo vosso, ó incomparável Mãe, guardai-me e defendei-me como coisa e propriedade Vossa.

Lembrai-Vos que Vos pertenço, terna Mãe, Senhora nossa; guardai-me e protegei-me como coisa própria Vossa. Amém.

Ao Anjo da Guarda – Santo Anjo do Senhor, meu zeloso guardador, pois a ti me confiou a piedade divina, hoje e sempre me governa, rege, guarda e ilumina. Amém.

À Sagrada Face – [Beato Pio IX]

OH, MEU JESUS, lançai sobre nós um olhar de misericórdia! Volvei Vossa Face para cada um de nós, como fizeste à Verônica, não para que A vejamos com os olhos corporais, pois não o merecemos. Mas voltai-A para os nossos corações, a fim de que, amparados sempre em Vós, possamos haurir nesta fonte inesgotável as forças necessárias para nos entregarmos ao combate que temos que sustentar. Amém!

[Bem-aventurado Papa Pio IX, 1792-1878, cujo pontificado foi, depois do de São Pedro, o mais longo da História (1846-1878), foi beatificado no ano 2000 por São João Paulo II].